Mais de 800 estudos concluíram que glifosato é seguro A Monsanto divulgou seu posicionamento oficial diante da decisão de suspensão do glifosato, tomada juíza substituta Luciana Raquel Tolentino de Moura, da 7ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal (SJ-DF). Na última sexta-feira, a magistrada ordenou que a União suspendesse, dentro de 30 dias, o uso de agroquímicos contendo não só o herbicida mais usado no mundo, mas também a abamectina, o tiram e outras substâncias. 

 
 

A medida, válida para todo o País, estaria em vigor até que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realize a avaliação toxicológica dos produtos, processo que foi iniciado há 10 anos. Confira:

 

POSICIONAMENTO MONSANTO 


O glifosato é uma ferramenta vital para a agricultura brasileira. Há mais de 40 anos, os agricultores contam com produtos à base de glifosato para ajudá-los a controlar plantas daninhas de forma eficaz, sustentável e segura. Como todos os produtos herbicidas, o glifosato é revisado rotineiramente pelas autoridades regulatórias para garantir que ele possa ser usado com segurança. Em avaliações de quatro décadas, a conclusão de especialistas em todo o mundo - incluindo a ANVISA, autoridades reguladoras nacionais nos EUA, Europa, Canadá, Japão e outros países, além de organizações internacionais de ciência e saúde - tem sido que o glifosato pode ser usado com segurança. Mais de 800 estudos e análises científicas concluíram que o glifosato é seguro para uso. A Monsanto respeita os rigorosos processos científicos atualmente utilizados pela ANVISA e outras autoridades regulatórias para garantir o uso seguro do glifosato e outros produtos de proteção à lavoura.


Fonte: Agrolink

" /> "'

NOTÍCIAS

Página inicialNotícias

Mais de 800 estudos concluíram que glifosato é seguro

A Monsanto divulgou seu posicionamento oficial diante da decisão de suspensão do glifosato, tomada juíza substituta Luciana Raquel Tolentino de Moura, da 7ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal (SJ-DF). Na última sexta-feira, a magistrada ordenou que a União suspendesse, dentro de 30 dias, o uso de agroquímicos contendo não só o herbicida mais usado no mundo, mas também a abamectina, o tiram e outras substâncias. 

 
 

A medida, válida para todo o País, estaria em vigor até que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realize a avaliação toxicológica dos produtos, processo que foi iniciado há 10 anos. Confira:

 

POSICIONAMENTO MONSANTO 


O glifosato é uma ferramenta vital para a agricultura brasileira. Há mais de 40 anos, os agricultores contam com produtos à base de glifosato para ajudá-los a controlar plantas daninhas de forma eficaz, sustentável e segura. Como todos os produtos herbicidas, o glifosato é revisado rotineiramente pelas autoridades regulatórias para garantir que ele possa ser usado com segurança. Em avaliações de quatro décadas, a conclusão de especialistas em todo o mundo - incluindo a ANVISA, autoridades reguladoras nacionais nos EUA, Europa, Canadá, Japão e outros países, além de organizações internacionais de ciência e saúde - tem sido que o glifosato pode ser usado com segurança. Mais de 800 estudos e análises científicas concluíram que o glifosato é seguro para uso. A Monsanto respeita os rigorosos processos científicos atualmente utilizados pela ANVISA e outras autoridades regulatórias para garantir o uso seguro do glifosato e outros produtos de proteção à lavoura.


Fonte: Agrolink

Veja Também:

Acesso Restrito

© Grupo TEC AGRO todos os direitos reservados - Desenvolvido por: Clan Digital.