Soja brasileira em alta com demanda aquecida As cotações da soja tiveram nesta sexta-feira (06.07) um dia de altas no mercado físico brasileiro, influenciadas pela queda do Dólar (1,67%) e alta da Bolsa de Chicago (5,05%). De acordo com os índices do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), apurados junto aos diversos participantes do mercado, em média os preços subiram 0,06% nos portos e 0,95% no interior do País.

Segundo o analista Luiz Fernando Pacheco, da T&F Consultoria Agroeconômica, os prêmios da soja brasileira também caíram 1,69%, mesmo com a forte alta das cotações em Chicago: “Deveriam cair proporcionalmente mais, o que realmente poderá acontecer nesta semana que entra – atenção, portanto”.



“A demanda está muito forte para a soja brasileira e a diferença (spread) entre os preços da soja americana e da brasileira está muito alto, tanto que Abiove já fala em importar soja americana para esmagadores. Contudo, mesmo com estas correções estamos ainda 12% abaixo do que já estivemos no início deste ano, no mercado de lotes e, no mercado de balcão, na pedra, estamos 3% mais abaixo do que já estivemos. Portanto, quem está bancando boa parte do preço neste momento é o dólar”, explica.

 

De acordo com o especialista, os lucros líquidos dos agricultores continuam altos: fecharam a semana ao redor de 60% nos estados de SP e PR, ao redor de 50% em SC, ao redor de 40% nos estados de MG e RS, ao redor de 30% MS, MA e TO, entre 20% e 30% BA e GO. “Por isto, este foi um ano excelente para os agricultores (todos os grãos estão com preços altos) e a soja promete níveis altos para o próximo ano também”, conclui.

 

Fonte: Agrolink

" /> "'

NOTÍCIAS

Página inicialNotícias

Soja brasileira em alta com demanda aquecida

As cotações da soja tiveram nesta sexta-feira (06.07) um dia de altas no mercado físico brasileiro, influenciadas pela queda do Dólar (1,67%) e alta da Bolsa de Chicago (5,05%). De acordo com os índices do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), apurados junto aos diversos participantes do mercado, em média os preços subiram 0,06% nos portos e 0,95% no interior do País.

Segundo o analista Luiz Fernando Pacheco, da T&F Consultoria Agroeconômica, os prêmios da soja brasileira também caíram 1,69%, mesmo com a forte alta das cotações em Chicago: “Deveriam cair proporcionalmente mais, o que realmente poderá acontecer nesta semana que entra – atenção, portanto”.



“A demanda está muito forte para a soja brasileira e a diferença (spread) entre os preços da soja americana e da brasileira está muito alto, tanto que Abiove já fala em importar soja americana para esmagadores. Contudo, mesmo com estas correções estamos ainda 12% abaixo do que já estivemos no início deste ano, no mercado de lotes e, no mercado de balcão, na pedra, estamos 3% mais abaixo do que já estivemos. Portanto, quem está bancando boa parte do preço neste momento é o dólar”, explica.

 

De acordo com o especialista, os lucros líquidos dos agricultores continuam altos: fecharam a semana ao redor de 60% nos estados de SP e PR, ao redor de 50% em SC, ao redor de 40% nos estados de MG e RS, ao redor de 30% MS, MA e TO, entre 20% e 30% BA e GO. “Por isto, este foi um ano excelente para os agricultores (todos os grãos estão com preços altos) e a soja promete níveis altos para o próximo ano também”, conclui.

 

Fonte: Agrolink

Veja Também:

Acesso Restrito

© Grupo TEC AGRO todos os direitos reservados - Desenvolvido por: Clan Digital.